Vai descendo e curtindo ;)

O ano que parecia nunca acabar chegou ao seu fim. Toda a história contada nesses 366 dias de 2016 teceu uma narrativa densa que marcou o Brasil e o mundo.

Sobrevivemos.

Você conhecerá aqui nossa perspectiva sobre como foi  2016 no Catarse. Um ano certamente atípico, intenso e que nos proporcionou um enorme aprendizado.

R$ 16.2 milhões arrecadados

Um crescimento de 41% em relação a 2015. Foram mais de R$30 apoiados por minuto!

5631 projetos publicados no ano

1920 na modalidade Tudo ou Nada e 3711 na modalidade Flex

529 projetos finalizaram acima de 100% da meta

E representaram mais de 70% da arrecadação total no ano

Projetos que captaram acima de 100%, por mês

Projetos que captaram acima de 100%, por categoria

R$ distribuídos para realizadores, por categoria

(já descontando a taxa do Catarse e do meio de pagamento)

R$ distribuídos para realizadores, por mês

(já descontando a taxa do Catarse e do meio de pagamento)

Total distribuído a realizadores Tudo ou Nada

R$ 7.956.540,49

Total distribuído a realizadores Flex

R$ 5.304.295,91

134.827 pessoas apoiaram projetos no Catarse em 2016

105.150 apoiaram pela primeira vez
21.655 apoiaram mais de 1 projeto no ano
457 apoiaram mais de 10 projetos no ano
(Nós homenageamos super apoiadores em série no nosso Blog, nesse post e nesse aqui também ! )

Quinta-feira foi o dia mais popular de apoios...

E 11h da manhã a hora com mais contribuições!

O cenário de financiamento coletivo brasileiro se transformou. Para acompanhar, realizamos mudanças internas e externas que geraram movimentos e novidades.

Lançamos o Catarse Flex

70% do dinheiro apoiado para projetos Flex foi para campanhas que bateram no mínimo 50% da meta

Fizemos uma animação contando como funciona o financiamento coletivo

Abrimos nossa curadoria

Lançamos a Escola do Financiamento Coletivo

E vimos as visitas à Escola saírem de 0 para mais de 60.000 em menos de 1 ano!

Usamos gifs de gatinhos para contar como funciona a taxa cobrada pelo Catarse

Demos uma repaginada em nossa Central de Suporte

Escrevemos mais de 163.000 linhas no código aberto do Catarse

Pretendemos seguir mudando. Desde 2011 evoluímos nosso trabalho em busca do que faz sentido para o financiamento coletivo brasileiro e para a comunidade de usuários do Catarse.

Projetos incríveis sairam do papel em 2016.
Diversos "Brasis" estiveram no Catarse.

Cidades foram retratadas a partir de sua arquitetura

Pessoas sairam de suas cidades para viver experiências marcantes

Observamos vários projetos de financiamento coletivo com o objetivo de viajar para aprender algo, investigar, gerar conteúdo ou simplesmente para viver experiências e se por em movimento.

Vimos o Menino ir para o Oscar...

E os estudantes secundaristas lutarem por seus direitos em Washington!

O cinema brilhou mais uma vez no Catarse

Ouvimos e financiamos muita música. 

E a Liniker lacrou!

Vimos o nu masculino ser exaltado como arte

A comunidade LGBT se fortalecer e se apoiar

Vimos as histórias invisíveis de moradores de rua contadas em um livro de fotografias

E o Pimp My Carroça ultrapassar a marca de 40 projetos financiados

E com isso ser a organização com o maior número de projetos financiados por financiamento coletivo no Brasil!

Vimos a causa feminista crescendo no Catarse

E a temática negra conquistando cada vez mais seu espaço

Projetos abordaram diferentes perspectivas sobre a política brasileira.

O financiamento coletivo chegou ao epicentro do debate político no país

Ex companheiras de cela da Presidenta Dilma Rousseff lançaram a campanha Jornada pela Democracia para financiar viagens de Dilma pelo Brasil para defender seu mandato. O projeto bateu todos os recordes do Catarse. Não foi nada fácil hospedar esse projeto tão controverso em um ano mais controverso ainda. Você pode saber um pouco mais no nosso posicionamento oficial.

Ajudamos a criar Robôs para fiscalizar gastos públicos do Congresso!

Foi uma Serenata de Amor para nossos ouvidos quando, com apenas 1 mês de projeto em ação, eles conseguiram a primeira devolução financeira de um gasto público.

Em ano de Olimpíadas, unimos humanos e máquinas

Paraplégicos pedalaram com suas próprias pernas com o auxílio de tecnologia brasileira! E ainda participaram de uma Olimpíada Biônica

Financiamos coletivamente a saúde e a medicina

E que ano para os makers no Catarse! Designers, uni-vos!

Foi tanto produto bom, que convocamos a comunidade para nossa primeira turma Criadores em Catarse.

O Mola voltou e saiu na revista Wired!

Um belo reconhecimento ao talento, energia e competência do realizador Márcio Sequeira, criador do sistema Mola. Ele arrecadou R$1.303.337 com as duas edições do projeto.

Ahhhh, os quadrinhos <3

Difícil demais selecionar os destaques dos quadrinhos. É uma comunidade incrível com tanta gente boa! Fica aqui o nosso eterno agradecimento a vocês!

Vimos o Felipe Cagno tirar seu oitavo quadrinho do papel no Catarse

Batemos um papo com esse realizador em série do Catarse pra descobrir o que está por trás de suas 8 campanhas de sucesso.

Vimos livros, livros e mais livros se tornando realidade

Junto com quadrinhos e mídias impressa,  obras de literatura formam uma "super categoria" de projetos que chamamos de Publicações, que representou 20% de todo o dinheiro circulado em 2016 no Catarse.

E a realidade catártica foi moldada por um recorde cósmico

O Livro Kabbalah Hermética de Marcelo Del Debbio arrecadou 347 mil reais, se tornou o quarto maior projeto do Catarse e o maior da categoria Publicações.

Nos aventuramos ao lado de vikings beberrões em mundos estranhos e selvagens

E as sombrias Terras de Rûl brilharam com um recorde brasileiro

O jogo Shadow of the Demon Lord se tornou a maior arrecadação de RPGs no financiamento coletivo brasileiro.

Em 2016 nos despimos durante 365 dias

E produzimos memórias para um futuro mais livre

Existem muitas pautas e batalhas ocorrendo nesse país. 

Estamos há 6 anos em uma frente muito específica: propiciar um ambiente e condições  para que possamos nos unir e, juntos, viabilizarmos projetos.

Ao viabilizarmos projetos, viabilizamos ações.
E ações colocam tudo em movimento. 

Com o nosso trabalho, esperamos criar o ferramental para que esse movimento ganhe cada vez mais energia. 

Mais ações. 

Mais pessoas se reunindo ao redor de interesses comuns. 

Esperamos também que essas mesmas pessoas, através dos projetos e realizadores, tenham contato com o que lhes é diferente, com o que lhes é inusitado. Acreditamos no diálogo e valorizamos a descoberta de novas perspectivas através da empatia.

O financiamento coletivo é mais coletivo que financiamento. É mais sobre pessoas e menos sobre dinheiro. 

Os números, recordes, o volume financeiro arrecadado, por um projeto ou pelo Catarse no ano, são só elementos da equação. São sinais de algo maior da qual o financiamento coletivo e o Catarse são parte, e não o todo. 

Uma mudança composta de diversas ações, iniciativas. 

Uma mudança que ainda é uma busca, e não tem forma absoluta ou respostas completas. 

Um movimento que visa estimular valores como autonomia, diversidade, empatia, proximidade, união, liberdade e colaboração. 

Por isso, todo ano pra gente acaba sendo meio mágico. Basta olhar para trás e ver o tanto de pessoas que fizeram coisas fantásticas e tiraram projetos incríveis do papel. 

Muito obrigadx a todxs vocês que já criaram um projeto, apoiaram uma iniciativa, compartilharam uma campanha. 

Vocês sentiram na pele a doce loucura do financiamento coletivo.

Avante!